17 de novembro de 2017
 
 
Enviar por email
RSS
Imprimir

Trabalho: estatísticas que iluminam

27/10/2017

por Clemente Ganz Lúcio (*)

Intensas transformações estão em curso na organização da produção econômica, com severos e múltiplos impactos sobre o mundo do trabalho. As empresas multinacionais ampliam sua presença nos países; as novas tecnologias – da robótica à comunicação – transformam processos produtivos, eliminam empregos e criam novas ocupações; mudanças legislativas alteram o padrão regulatório das relações de trabalho, criam novas formas de contratação, flexibilizam jornada e salário, definem novos papéis para os Sindicatos e conferem outras finalidades às negociações coletivas; o papel do Estado e as políticas públicas são objeto de disputa e estão em reconfiguração.

A compreensão da realidade passa pela capacidade de observar e descrever seus movimentos, pela competência em interpretar os fenômenos históricos e pela crítica para prospectar as possibilidades de futuro. Para aqueles que lutam para intervir sobre essa realidade e por buscar alternativas, é preciso muito mais: as escolhas e decisões exigem um conhecimento profundo ao ponto de permitir estimar os impactos presentes e futuros das medidas que se pretende defender, além de, posteriormente, acompanhar seus efeitos e resultados. As estatísticas e os números devem, portanto, iluminar a capacidade de análise da realidade e os indicadores devem permitir observar tendências e mensurar impactos.

É com essa concepção que o Dieese investe há mais de 60 anos na produção de indicadores socioeconômicos, com especialização e foco nas questões do mundo do trabalho, realizando pesquisas primárias, compilando e consolidando estatísticas, construindo indicadores, produzindo estudos e análises e divulgando informações da maior relevância para o movimento sindical e para toda a sociedade.

Nesta semana cumprimos mais uma vez essa tarefa ao divulgar o Anuário do Sistema Público de Emprego, Trabalho e Renda 2016, por meio do qual são disponibilizadas milhares de informações que tratam das características e dinâmicas do mercado de trabalho brasileiro (ocupação, emprego, renda, jornada) e da abrangência e impacto das políticas públicas de emprego, trabalho e renda (intermediação de mão de obra, seguro-desemprego, qualificação profissional e aprendizagem, microcrédito e Proger); além de registrar dados sobre saúde do trabalhador.

Nesse período que antecede a entrada em vigor da reforma trabalhista que pretende alterar centenas de aspectos do sistema de relações de trabalho, o Dieese reúne informações que compõem um quadro referencial para a observação das mudanças e impactos impostos por esse novo ambiente institucional e normativo sobre o mundo do trabalho.

O Anuário é composto por sete cadernos. No primeiro, apresenta-se uma análise de indicadores selecionados, que são apresentados, por tema específico, em outros seis cadernos. As informações referem-se aos anos de 2015 e 2016 e serão, em breve, complementadas por dados relativos ao ano de 2017.

Essa publicação foi, mais uma vez, produzida no âmbito de cooperação com o Ministério do Trabalho e está disponível no site do Dieese (www.dieese.org.br).

(*) Clemente Lúcio, sociólogo, é diretor técnico do Dieese - Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos.

Comentários
0 comentário(s)

Comentar

O conteúdo deste campo é privado não será exibido ao público.
CAPTCHA
Insira os caracteres abaixo